MENU

 Acolhimento

 História da Unidade

 BII 17

 Funeral Armas

 Nós Antes e Depois  


Álbum de 2012

6º Encontro 4740

Salvador e Silvestre L.

Barros na California

Barros nos Açores

Álbum de 2011

5º Encontro 4740

Encontro nos Açores


 Álbum dos Encontros

Álbum de 2017

Álbum de 2016

Álbum de 2015

Álbum de 2014

Álbum de 2013

Álbum de 2010

Álbum de 2009

 Álbum de 2008

 Álbum de 2007

 Fotografias de Sempre

 Fotos dos Grupos 4740

 Fotos dos Grupos Espec.

 Fotos das Velhas Glórias

 Fotos das Novas Glórias

 Fotos das Nossas Terras

 Os Nossos Aniversários

 Se Bem Me Lembro

 Solidariedade

 Favoritos

 Contatos

 
 


2012


6º ENCONTRO em fátima, ANO 2012

O nosso encontro teve início aqui, no Santuário, como os chuviscos se faziam sentir, lá nos fomos abrigando, é que afinal a chuva sempre molha ex-militares, mas estamos maravilhosamente, sempre jovens, graças a Deus.

A Fé foi exercida por muitos na celebração da Santa Missa, as preces pelos camaradas da CCAÇ4740, foram proferidas e ouvidas por todos.  

Reunidos que estavam os camaradas, apos o acto religioso para uns, e o cavaquear para outros, era chegada a hora de rumar ao já merecido almoço, e lá fomos em grupo, mais ou menos ordeiro, mas felizes e com com a alma mais confortada.

 

 

Depois de alguma turbulência, na procura do lugar certo, todos estavam sentados à mesa, e as entradas, essas, foram sendo consumidas ao ritmo de cada conviva, e a todos sentadinhos, foi servido o repasto e os respetivos líquidos, seguiu-se a sobremesa e as deliciosas cerejas, das que o nosso companheiro Rocha, nos tem sempre, brindado, finalmente terminamos este ritual com o respetivo café.

O calor do convívio e o estomago abastecido, foram os dois ingredientes essenciais para se produzirem os discursos que, o

ex-capitão João Silva e o ex-furriel Armando Faria, proferiram

e que atentamente, todos escutaram.

Estava chegada a 4ª parte deste encontro, o convívio, de um modo geral, todos se movimentavam pela sala, certamente em busca de terminar a conversa iniciada há muitos anos atrás, ou talvez a do ano passado.

Quem não gosta de apagar as velas deste bolo, ninguém, claro que todos gostam de as apagar, estas pequenas chamas simbolizam mais um ano de vida que tivemos, e nas nossas idades, isso é valiosíssimo.

Depois do bolo mais convívio e o fim de festa, era hora de regressar a casa, depois das despedidas, todos se foram, para o ano que vem, e se Deus quiser, há mais.

Sobre este convívio apraz-me fazer alguns realços, poderão ser de pouca importância para alguns mas para mim e certamente para muitos mais é de muita importância.

Em primeiro lugar deixem-me publicamente dar os meus parabéns ao Faria, é verdadeiramente o impulsionador, moral pelo empenho em alertar, lembrar, telefonar, escrever e mais o que possam imaginar, para trazer o pessoal, impulsionador, físico pelo trabalho que tem em organizar o evento, não pensem que é só telefonar para o restaurante, é ir ver, discutir e regatear com o fornecedor para que todos possam disfrutar do melhor. Devido a algumas dificuldades de saúde, que ultimamente o tem atormentado, sei que foi feito com muito esforço, Faria, mais uma vez um grande abraço, aquele meu abraço do tamanho do cumbijã e obrigado.

Em segundo lugar, gostava de agradecer aos que vieram de longe e dizer-lhes, gostámos de os cá ter, podem vir sempre porque com vocês, a nossa festa fica mais rica.

Em terceiro lugar, quero aqui mostrar porque se costuma dizer, “Deus escreve direito por linhas tortas”. Um dos nossos companheiros, veio a Lisboa fazer exames médicos, que nos Açores não existem, o objectivo é dominar o mal de saúde que o atormenta, depois de chegar, falou com o Faria que de imediato o questionou, se queria ir a fatima, claro que a resposta foi sim, de imediato o Faria me telefonou a saber se eu o podia levar, com a minha resposta afirmativa deu-me os contactos, combinámos e la fomos, pelo caminho a esposa disse-nos que tinha pedido ao marido para a levar a fatima, queria agradecer e pedir a Nossa Senhora de fatima uma ajudinha no domínio da doença. Quando chegamos acompanhados pela minha esposa, foram primeiro à capelinha das aparições, fazerem as suas preces e depois, sempre com a minha esposa, dirigiram-se ao ponto de encontro, até este momento o nosso companheiro e esposa, sempre pensaram que eu ia a fatima e lhes dava uma boleia, desconheciam a surpresa que iam ter, encontrar-se com os seus companheiros da CCAÇ 4740.

Na conversa durante a viagem de regresso, disse-me o nosso companheiro que lhe nasceu uma alma nova. Sei também, que deixando a sua jovem filhota nos açores, vai ficar por cá cerca de 8 semanas para fazer tratamentos que nos Açores não são possíveis de fazer.

Para este companheiro aqui fica aquele meu abraço do tamanho do cumbijã, votos para que o tratamento seja eficiente no domínio da doença, força Bretanha, nós também rezamos por ti.

Finalizo com saudações a todos.

Mário Oliveira ex-furriel mecânico auto

 

Encontro nos Açores

   

O nosso companheiro Eduardo Barros de visita ao Faial, Terceira e S. Miguel.
Este nosso companheiro, sempre presente, a visitar os amigos nas suas deslocações, desta vez esteve de visita aos companheiros residentes nesse paraíso chamado Açores.

A estes amigos aqui vai o nosso abraço do tamanho do Cumbijã, aos outros, que se vão encontrando por esse Mundo fora, desafiamos a que nos enviem as suas fotos para delas dar conhecimento à companhia.

 

Encontro pelo S. João, no Norte de Portugal

   

Um pequeno registo do encontro a 22 Junho 2012 na casa do Faria.

Depois duma semana de grandes emoções em fatima, foi chegado o momento de reunir nove companheiros no Norte.

Esta oportunidade deveu-se a quatro factores;

Primeiro pelo nosso amigo Diegues que por razões de falta de saúde, com imensa pena da sua e nossa parte, não pôde participar do nosso encontro nacional.

Segundo aproveitando a presença do Eduardo Barros em ferias e de passagem pelo Norte, e como não há duas sem três, aproveitámos a presença do ressuscitado, Francisco Caetano, que veio de prepósito da Freixianda, Ourém, até nós para matar saudades dos amigos que o haviam dado como perdido, felizmente, felizmente, felizmente está bem e recomenda-se.

E para rematar tudo isto, o José Pedrosa fazia anos e foi o momento para cantar os parabéns.

Este foi mais um dos muitos pequenos grandes encontros/momentos que ao longo destes últimos anos e mercê das buscas e do reencontro vão surgindo.

 

 
 

Salvador e o Encontro em Portugal - 2012

Encontro do Salvador com os companheiros Silvestre Lourencinho, Francisco Caetano, Filipe Rato e o António Saraiva, nas suas férias em Portugal

 


2011


5º ENCONTRO EM fátima - 18 DE JUNHO DE 2011

Este álbum, só foi possível com as fotografias enviadas pelos nossos companheiros: António Salvador, António Zêzere, Armando Faria, Fernando Lino e Mário Oliveira.

 

 

ENCONTRO NOS AÇORES 2011

 

© mafeliol 2015 - Criado por Mário Oliveira, todos os direitos reservados

Última revisão desta página a 21 de junho de 2017,