MENU >>>

Acolhimento

Recordaçãoes e Fotos

Galeria de Fotografias do 6º Encontro daCCAÇ 4740 em Fátima a 16-6-2012

O nosso encontro teve início aqui, no Santuário, como os chuviscos se faziam sentir, lá nos fomos abrigando, é que afinal a chuva sempre molha ex-militares, mas estamos maravilhosamente, sempre jovens, graças a Deus.

 

 
A Fé foi exercida por muitos na celebração da Santa Missa, as preces pelos camaradas da CCAÇ4740, foram proferidas e ouvidas por todos.  
Reunidos que estavam os camaradas, apos o acto religioso para uns, e o cavaquear para outros, era chegada a hora de rumar ao já merecido almoço, e lá fomos em grupo, mais ou menos ordeiro, mas felizes e com com a alma mais confortada.

Depois de alguma turbulência, na procura do lugar certo, todos estavam sentados à mesa, e as entradas, essas, foram sendo consumidas ao ritmo de cada conviva, e a todos sentadinhos, foi servido o repasto e os respetivos líquidos, seguiu-se a sobremesa e as deliciosas cerejas, das que o nosso companheiro Rocha, nos tem sempre, brindado, finalmente terminamos este ritual com o respetivo café.

O calor do convívio e o estomago abastecido, foram os dois ingredientes essenciais para se produzirem os discursos que, o ex-capitão João Silva e o ex-furriel Armando Faria, proferiram e que atentamente, todos escutaram.

Estava chegada a 4ª parte deste encontro, o convívio, de um modo geral, todos se movimentavam pela sala, certamente em busca de terminar a conversa iniciada há muitos anos atrás, ou talvez a do ano passado.
       
Quem não gosta de apagar as velas deste bolo, ninguém, claro que todos gostam de as apagar, estas pequenas chamas simbolizam mais um ano de vida que tivemos, e nas nossas idades, isso é valiosíssimo.

Depois do bolo mais convívio e o fim de festa, era hora de regressar a casa, depois das despedidas, todos se foram, para o ano que vem, e se Deus quiser, há mais.

Sobre este convívio apraz-me fazer alguns realços, poderão ser de pouca importância para alguns mas para mim e certamente para muitos mais é de muita importância.

Em primeiro lugar deixem-me publicamente dar os meus parabéns ao Faria, é verdadeiramente o impulsionador, moral pelo empenho em alertar, lembrar, telefonar, escrever e mais o que possam imaginar, para trazer o pessoal, impulsionador, físico pelo trabalho que tem em organizar o evento, não pensem que é só telefonar para o restaurante, é ir ver, discutir e regatear com o fornecedor para que todos possam disfrutar do melhor. Devido a algumas dificuldades de saúde, que ultimamente o tem atormentado, sei que foi feito com muito esforço, Faria, mais uma vez um grande abraço, aquele meu abraço do tamanho do cumbijã e obrigado.

Em segundo lugar, gostava de agradecer aos que vieram de longe e dizer-lhes, gostámos de os cá ter, podem vir sempre porque com vocês, a nossa festa fica mais rica.

Em terceiro lugar, quero aqui mostrar porque se costuma dizer, “Deus escreve direito por linhas tortas”. Um dos nossos companheiros, veio a Lisboa fazer exames médicos, que nos Açores não existem, o objectivo é dominar o mal de saúde que o atormenta, depois de chegar, falou com o Faria que de imediato o questionou, se queria ir a fatima, claro que a resposta foi sim, de imediato o Faria me telefonou a saber se eu o podia levar, com a minha resposta afirmativa deu-me os contactos, combinámos e la fomos, pelo caminho a esposa disse-nos que tinha pedido ao marido para a levar a fatima, queria agradecer e pedir a Nossa Senhora de fatima uma ajudinha no domínio da doença. Quando chegamos acompanhados pela minha esposa, foram primeiro à capelinha das aparições, fazerem as suas preces e depois, sempre com a minha esposa, dirigiram-se ao ponto de encontro, até este momento o nosso companheiro e esposa, sempre pensaram que eu ia a fatima e lhes dava uma boleia, desconheciam a surpresa que iam ter, encontrar-se com os seus companheiros da CCAÇ 4740.

Na conversa durante a viagem de regresso, disse-me o nosso companheiro que lhe nasceu uma alma nova. Sei também, que deixando a sua jovem filhota nos açores, vai ficar por cá cerca de 8 semanas para fazer tratamentos que nos Açores não são possíveis de fazer.

Para este companheiro aqui fica aquele meu abraço do tamanho do cumbijã, votos para que o tratamento seja eficiente no domínio da doença, força Bretanha, nós também rezamos por ti.

Finalizo com saudações a todos.

Mário Oliveira ex-furriel mecânico auto

© 2017 - Todos os direitos reservados - O conteúdo deste Sítio não pode ser usado sem a devida autorização